Capítulo 10


Antes queria divulgar duas historias, a minha e da minha mana Laura http://zanessancy.blogspot.pt/ Nothing Compares To You e a nova historia da Dya com Margarida Jorge  http://fics-dysu.blogspot.pt/ Amar o professor de Educação Física.

Duas semanas se passaram, duas semanas estranhamente calmas naquela casa, Ryan teve que sair para uma missão com Alex, mas Vanessa ficou, porque Zac estava a seu cuidado. Dês de que Chace a tinha ajudado com sensores de movimentos, e com as camaras, a sua aproximação com Zac foi mais facilitada. Mas apesar de tudo, mesmo estando indo tudo bem Vanessa estava preocupada, porque algo lhe dizia que Brad começava a ficar com a ideia de se livrar de Zac.
Zac aproximou-se dela devagar e abaixou a cabeça para conseguir alcançar a sua orelha.
Zac: Quer dizer que estamos sozinhos? - Sussurrou, para Vanessa que sorria com toda a sua graça para ele.
Vanessa: Quer dizer está o Chace e a cozinheira, de resto não á mais ninguém que nos possa chatear, ou seja vai ser um fim-de-semana, bem calmo, vais ficar sem sovas, vais poder dormir a noite toda, e eu também, pode de…- Foi interrompida pela voz baixa e rouca de Zac.
Zac: De tanto, ficar a vigiar me e a cuidar de mim, nem dormes e estás exausta. – Terminou colocando a cabeça de lado seguindo-o movimento, estranho dela, era vergonha, timidez? Ele não sabia mas gostava de a conseguir entender. Havia algo nela que o deixava intrigado e ao mesmo tempo…curioso? Fascinado? Ele não sabia o que eta e isso o deixava-o frustrado.
Vanessa: Eu… Levantou-se dando lhe de costas, não conseguia encara-lo muito menos admitir na ara dele a simples verdade. – Eu não te estou a proteger…- Ela falou baixo mas o alto suficiente para ele ouvir.
Zac: Pois não. – Falou irónico e ela o voltou a olhar. – Me diz o porque disso tudo; viras-te um ser humano de repente, porque esse teu medo de me perder? – Ele perguntou a olhar nos olhos da Vanessa que fitava os olhos dele com uma certa fascinação o que o deixou meio desconcentrado. – Sabes eu apenas quero perceber tudo o que se passa aqui, porque até agora ainda não entendi nada de nada.
Vanessa: Eu sou um ser humano como qualquer outra tenho, um coração, mesmo que não pareça. – Respondeu a uma das perguntas tão frias dele. – Aqui dentro. – Caminhou até ele e pegou na sua mãe quente e forte e a colocou no peito, podendo fazer com que ele sentisse o batimento de seu coração. – Tenho um coração que bate, mas eu fui treinada para ser fria, para desligar dos meus sentimentos…para não sentir qualquer tipo de sentimentos, bom mas…não sei. – Suspirou ainda com a mão dele em seu peito.
Zac: Ok, mas isso não responde á minha questão. – Retirou a mão do peito dela, sentido os pelos de todo o seu corpo se arrepiarem.
Vanessa: Se me deixasses terminar. - O criticou. - Como eu estava a dizer, fui treinada para matar a sangue frio, mas se queres saber eu estou disso…estou farta de não ter uma noção de vida, e não ter nada para viver. – Sentou-se na cama e olhou o chão sem coragem para o encarar pois sabia que podia desabafar a qualquer momento. – Como disse um poeta á quem se queixe das rosas terem espinhos pois eu agradeço dos espinhos terem rodas.
Zac: Isso quer dizer, precisamente o quê? – Chegou se um pouco mais perto dela, ficando sentado mesmo ao seu lado. O corpo de Vanessa estremeceu ao sentir o calor que meneava do corpo de Zac.
Vanessa: Que no mundo precisamos de ser animais, para sobreviver, mas eu quero ser um animal com coração, eu quero sentir o meu coração bater mais forte, sempre que vejo alguém. – Mas nem família tenho para me fazer sentir isso, eu não tenho nada nem ninguém. Eu só queria alguém…não sei explicar. – Suspirou fitando-o.
Zac: Mas e…- Engoli-o seco e ganhou coragem. – Mas e o Chace? – Perguntou com certo ciúme, mas Vanessa não soube perceber, estava perdida nos olhos dele.
Vanessa: Chace, podia ser meu irmão, mas eu dormi com ele e essa palavra as vezes fica me um pouco estranha. – Riu dos seus pensamentos, enquanto ele não achava piada, pela maneira como falava do outro loiro. Um sentimento possessivo e ao mesmo tempo raivoso subiu por todo o seu corpo o que o fez fechar suas mãos sem punhos pela raiva. – E foi difícil nós ficarmos amigos assim, mas com o tempo aproximação é maior e nós vamos acabar por ficar…
Zac: Irmãos! – Interrompeu a e ela sorriu pelo olhar atento e frustrado dele.
Vanessa: Exatamente isso. – Disse levando a sua mão á dele que estava em sua perna e acariciou o que fez com que a sua mão abrir e ela pudesse entrelaçar os dedos, algo tão mínimo, mas tão mágico, só das suas mãos tocarem ela finalmente teve o que queria, seu coração explodiu, sua cabeça estava estranha, e a sua barriga nem se dizia, mas ela não fazia a mínima do que era aquilo era algo magico e delicioso que se apoderava do seu corpo e que fazia ficar mole. Ele olhou as mãos dele e depois de sorrir aproximou seu nariz do cabelo dela e cheiro bom entrar pelas suas narinas, algo como morango e frísias. Era um cheiro doce ao contrário da sua postura habitual de ser. Aproximou-se um pouco mais e beijou-lhe a testa.
Zac: Cheiras bem. – Admitiu sorrindo, baixou a cabeça enquanto ela a levantou, e ainda seus lábios não se tinham tocado, mas seus olhos já estavam fechados, e as respirações aceleradas, ele abriu os olhos mais uma vez, e um sorriso formou-se no seu rosto, ao ver que ela procurava a sua boca, e estava tão entregue a ele dando um certo encanto á sua forma angelical de ser e assim não a fez esperar mais e a beijou de leve. O toque suave dos lábios da Vanessa nos seus fez todos os seus instintos ficarem fora de ar e a sua respiração parar e voltar a disparar em flecha como se tivesse levado um choque. As mãos de Vanessa passaram pelos seus braços enquanto os lábios de ambos ainda estavam colados. Vanessa entre abriu a sua boca e Zac mordiscou os seus lábios para despois mergulhar a sua língua na boca dela. A língua da Vanessa se moveu contra a de Zac á procura de espaço e ao mesmo tempo de sabor. As mãos lisas de Zac mergulharam no cabelo lisa da Vanessa e as mãos de Vanessa agarraram os ombros de Zac se aproximado mais dele, um suspiro saiu da boca de ambos assim que os corpos se tocaram levemente. O beijo foi aprofundado por ambas as partes e a busca de sensações e perguntas ficou cada vez mais urgente. As mãos de Zac desceram as costas de Vanessa ao chegar á cintura a pegou ali e colocou no seu colo. A abraçou apertado para que não fugisse dali. Os lábios de ambos estavam agora simplesmente colados, uma sensação de realização e felicidade ameava do corpo de ambos como se fosse isso que eles queriam á muito tempo. Era ali que ela pertencia agora só faltava saber como fazer isso acontecer…
 ****(«««««»»»»»)*****
Bem por hoje em tudo agradeço os comentários e por terem lido. A aproximação deles está mais que obvia, mas é uma relação complicada…depois vão entender melhor, o quanto eles vão ter que dar voltas e voltas para ficarem juntos =)

4 comentários:

  1. Que romântico! *-*
    Adorei! Foi lindo o primeiro beijo deles!!
    Posta logo!
    Bjinho!

    ResponderEliminar
  2. Voltei a comentar. Bem, já grande avanço, aliás, belo avanço.Tava a ver que não. :P Romântico e bem escrito.
    Capitulo muito bom, mana.
    Posta logo.
    xX L

    ResponderEliminar
  3. Já se estava à espera que ia isto ia acontecer mais cedo ou mais tarde :)
    Adorei o capitulo
    Bjs

    ResponderEliminar